PALESTRAS
“Os quatro pilares para uma gestão sustentável.”
 
Confira:
  1. Objetivo e Sinopse
  2. Objetivos Secundários
  3. Metodologia de Trabalho
 
Objetivo e Sinopse
 

A crença, poder, olhar e palavra formam tanto a cultura do líder como a da  empresa, construindo um campo de forças que influencia todos os envolvidos nos processos da organização.
A maneira como se articulam - crença, poder, olhar e palavra -, nos vários níveis da liderança, determinará a forma como a empresa se relaciona consigo mesma, com os colaboradores e clientes.
Compreender essa articulação possibilitará que a empresa ‘se olhe no próprio espelho’, de forma mais lúcida, e perceba o grau de evolução e maturidade do grupo.
Sem essa leitura de si mesma, dificilmente a gestão enfrentará os desafios da hipercompetitividade do mundo global e terá um clima organizacional positivo o suficiente, que permita o engajamento consciente dos colaboradores nos processos que permeiam o cotidiano empresarial.
O objetivo central da palestra é, portanto, compreender como estes quatro pilares - crença, poder, olhar e palavra - desenvolvem uma liderança evoluída, apta para o exercício sábio e competente da gestão, pronta para liderar equipes, lidar com conflitos e diferenças, premiar a diferenciação, encontrar soluções estratégicas e alcançar os resultados, ao mesmo tempo em que humaniza ambiente e relações, sem perder na síntese o compromisso com o futuro sóbrio da empresa, dos acionistas, da sua própria vida, dos colaboradores, dos clientes e do planeta.

 
topo
 
Objetivos Secundários
 
  1. Desenvolver competências que permitam a evolução da organização, construindo uma liderança diferenciada e capaz de compreender a beleza do ser humano em suas várias manifestações. Essa compreensão possibilita a melhora do clima organizacional, viabilizando a criatividade, felicidade coletiva e individual e conseqüente rapidez na identificação e solução de problemas.

  2. Elaborar a diretriz ética para construir confiança, integridade e integração entre líderes, liderados, departamentos e clientes, fortalecendo elos e expectativas.
    Conseqüentemente, os líderes estarão prontos para o exercício sábio do poder, gerenciando conflitos, diferenças e direcionando ações para alcançar metas e resultados, humanizando ambiente e relações ao mesmo tempo.

  3. Compreender como necessidades e demandas se manifestam no dinâmico e competitivo mundo global, o que agregará diferenciais  competitivos na cultura da empresa.
    Quais seriam esses diferenciais competitivos que a modernidade exige que as empresas desenvolvam?

    a) Construir consenso com foco nas diferenças,   que são a grande demanda do mundo e das pessoas. Só haverá personalização de bens e serviços se as diferenças forem aceitas e compreendidas.
    b) Equilibrar  na gestão a produtividade, que foca os resultados e o afeto que inspira as pessoas a trabalharem numa ambientação fértil para a criatividade, empenho e construção de valor.

  4. Elaborar, ainda, uma nova noção de trabalho, produtor não apenas de materialidade, ou seja, bens materiais e/ou serviços, mas também de bens espirituais ou de valor. A produção de bens espirituais é a condição para equilibrar a gestão de resultados e a gestão de valores.

 

Conclusão

Esse novo “espírito de gestão” formará a “personalidade” da empresa, que resultará numa substancial melhora no atendimento ao cliente, incluindo-o com eficácia no processo produtivo, por mais diferente e exigente que ele seja.

A empresa ganhará personalidade, espírito de serviço e melhor integração entre os departamentos, com uma liderança preparada para o exercício desafiante de exercer o poder, alcançando resultados materiais e humanos, num equilíbrio dinâmico que a otimizará, fortalecendo-a.

 

 
topo
 
 
Metodologia deTrabalho
 

      • Palestra: Uma hora e meia.
      • E/ou séries de cursos para grupos menores com interação, vivências, dinâmicas, exercícios e vídeos ilustrativos com slides em ppt (de 8 a 16 horas de duração).

 
topo